• Ines Rioto

Brasiliense cria acolhimento a pessoas LGBT expulsas de casa


Objetivo da Casa Rosa é oferecer apoio e orientação, principalmente psicológica, a pessoas que foram expulsas de casa por causa de preconceito; projeto precisa de doações
Ofensas, violência, preconceito, expulsão de casa e até assassinato, infelizmente, fazem parte da realidade de muitas pessoas LGBT. Segundo uma pesquisa da Codeplan (Companhia de Planejamento do Distrito Federal), Um olhar sobre a população LGBT no Distrito Federal, os registros de denúncia do disque 100, relativos a 2016, mostram que 24% dos casos violentos a LGBT ocorreram dentro de casa. Ao perceber a vulnerabilidade desse grupo, o técnico de enfermagem Marcos Tavares, 50 anos, teve a ideia de construir um lar de acolhimento a pessoas LGBT no Distrito Federal, a Casa Rosa, local onde vítimas poderão ter, além de um lugar para dormir, acesso à alimentação e, principalmente, apoio psicológico.



Plenitude Ativa/Inês Rioto

Morar 60 mais - PNG.png

São Paulo/Brasil

Todos os direitos reservados

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • LinkedIn Social Icon