• Inês Rioto

Não se esqueça de dizer 'eu te amo' todos os dias Apesar das particularidades de cada casal,


Casais nos quais há respeito e admiração mútuas tendem a ser mais felizes - Fotolia/Folhapress

Mirian Goldenberg - Antropóloga e professora da Universidade Federal do Rio, é autora de "A Bela Velhice".

Nas minhas pesquisas tenho encontrado muitos homens e mulheres extremamente insatisfeitos com seus relacionamentos amorosos, mas também encontro casais bastante felizes.

Apesar das particularidades de cada um, descobri algumas semelhanças interessantes nos casais mais satisfeitos e apaixonados:

  1. Eles não perdem o respeito e a admiração que sentiam no início da relação. Ao contrário, a admiração mútua só cresce com a convivência.

  2. Sentem-se cuidados e reconhecidos pelo parceiro. Não escutam aquela frase tão comum entre os casais infelizes: “Não faz mais do que a sua obrigação”.

  3. São companheiros, cúmplices e amigos, com valores e projetos comuns. Sabem que nunca estarão sozinhos nos momentos difíceis.

  4. Têm muita intimidade e se entendem apenas com um olhar ou um sorriso.

  5. Prestam atenção nas necessidades e nos desejos do outro.

  6. Conversam sobre tudo, contam detalhes do dia a dia, compartilham as pequenas coisas que vivem sem a presença do parceiro. Além de falar, sabem escutar com atenção.

  7. Sentem prazer em programas comuns, mas têm liberdade e espaço para ficarem sós ou com amigos.

  8. Buscam uma relação com reciprocidade, generosidade e equilíbrio entre dar e receber.

  9. Têm confiança no parceiro, valorizam a fidelidade e a lealdade.

  10. Riem muito, brincam, divertem-se. Sentem-se mais felizes quando estão juntos.

  11. Não implicam com o outro nem brigam por bobagens. Quando ocorre algum conflito, superam o problema sem agredir ou magoar.

  12. Procuram ser a melhor versão de si mesmos. Não focam nas faltas da relação. Preferem valorizar as qualidades do parceiro em vez de criticar seus defeitos.

  13. Não economizam beijos, abraços, carinhos e elogios. Não se cansam de dizer “eu te amo”.

Como disse Leo, de 93 anos: “Sou casado há 65 anos. Todos os dias eu agradeço a Deus por ter encontrado o amor da minha

https://www1.folha.uol.com.br/colunas/miriangoldenberg/2018/10/nao-se-esqueca-de-dizer-eu-te-amo-todos-os-dias.shtml?utm_source=facebook?loggedpaywall

vida”.


Plenitude Ativa/Inês Rioto

Morar 60 mais - PNG.png

São Paulo/Brasil

Todos os direitos reservados

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • LinkedIn Social Icon