• Inês Rioto

Um "resort" sénior para quem recusa ir para um lar,Mourisca do Vouga, Águeda- Port


As Casinhas Autónomas do Pinhal existem há seis anos. São como que uma aldeia sénior, para idosos ainda autónomos e ativos, mas que não têm apoio familiar e recusam ser institucionalizados.

Maria Fernanda Peralta tem 80 anos, mudou-se para aqui há 16 meses. Vivia sozinha, teve um problema de saúde, e os filhos, que estão no estrangeiro, procuraram ajuda.

José Carlos Arede é o diretor e explica que as "casinhas têm o apoio todo da instituição, estas pessoas não fazem nada. Esta senhora está sozinha porque quer, é ativa... Pôr uma senhora destas num lar era matá-la."

Maria Fernanda não tem dúvidas sobre a opção que fez. "Gosto de muito de ler, de ouvir música e tenho amigos aqui. Tenho uma casa minha, na Trofa, e duas vezes por semana vou lá. Aqui estou sozinha porque quero, sou independente, mas não sou de estar fechada. Tenho que ter música todos os dias de manhã!"

As Casinhas do Pinhal são um conjunto de oito casas de madeira, alinhadas, todas com varanda e com vista para o pinhal, que existe na parte de trás da IPSS "Os Pioneiros", em Mourisca do Vouga, Águeda.

"São acompanhados até às 20h. Depois dessa hora, havendo algum problema, há aqui sempre alguém de prevenção", explica José Carlos Arede.

Associação de Pais de Mourisca do Vouga tem uma creche, um centro de dia, um centro de convívio, um lar, presta apoio domiciliário e todos os serviços que já existem na instituição são usados nas casinhas autónomas.

O diretor diz que aqui encontram "pessoas que preparam o pequeno-almoço, o almoço, os que precisam de ajuda a tomar banho têm ajuda... É uma vida normal, embora não estejam institucionalizados têm acompanhamento, mesmo de médicos e de enfermagem, têm todos os serviços para superar qualquer dificuldade."

Alexandra Alves é a diretora técnica e explica que procuram respeitar os ritmos de cada um. "São pessoas autónomas, algumas ainda conduzem, saem quando querem, não estão sujeitas a horário de visita. Os amigos e familiares podem vir quando quiserem e até fazer uma refeição com eles nas casinhas."

As mensalidades vão dos 130 euros aos 800, os utentes podem optar por viver sozinhos numa casa, partilhar com outra pessoa (conhecida ou não) e também há habitações para casais.

Fernando Costa tem 86 anos e vive aqui desde 2013. "Temos colegas bons, vizinhos bons, é uma maravilha! Dei apoio à minha mulher até à morte e foi a razão de vir! Aqui constroem-se amizades, pessoas com quem nunca tivemos convívio, constroem-se amizades... somos como irmãos!"

Nas Casinhas Autónomas do Pinhal há espaço para merendas, para caminhadas, tudo no meio do espaço verde. Neste momento as Casinhas Autónomas do Pinhal têm 18 utentes, mas a lista de espera é longa.

https://www.tsf.pt/sociedade/um-resort-senior-para-quem-recusa-ir-para-um-lar-9921183.html


Plenitude Ativa/Inês Rioto

Morar 60 mais - PNG.png

São Paulo/Brasil

Todos os direitos reservados

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • LinkedIn Social Icon