Metade das mulheres pode ter Alzheimer após os 45 anos Já os homens são mais propensos a derrames.

 

Uma em cada duas mulheres e um em cada três homens terão algum problema neurológico ao longo da vida – como Parkinson, Alzheimer ou um acidente vascular cerebral (AVC).

A estimativa vem de um trabalho da Universidade de Roterdã, na Holanda, publicado na última terça-feira (2) no Journal of Neurology Neurosurgery & Psychiatry.

A investigação foi extensa: os cientistas analisaram a saúde cognitiva de 12 mil pessoas, que participaram de um estudo conduzido entre 1990 e 2016. A ideia era rastrear os efeitos do envelhecimento na saúde mental dos participantes – que tinham 45 anos ou mais no início do levantamento.

PUBLICIDADE

A cada quatro anos, os voluntários passavam por check-ups para avaliar como estava sua saúde física e mental. O monitoramento acontecia até que alguém morresse ou até a data final da pesquisa, 1º de janeiro de 2016.

Ao longo de 26 anos, 1.489 indivíduos foram diagnosticados com alguma demência, sendo a maioria Alzheimer (cerca de 80% dos casos).

Como previam os autores, o risco de apresentar esses problemas aumentou conforme o avançar da idade. Mas o que mais chamou a atenção foram as diferenças entre homens e mulheres. Entre eles, o perigo maior é o AVC; entre elas, as doenças cognitivas.

Considerando os dois problemas juntos, o risco de as mulheres apresentarem o combo é o dobro dos homens.

Outro achado curioso é que os mesmos pacientes que desenvolveram demências também tinham colesterol alto, hipertensão ou diabetes. Isso indica que o estilo de vida pode estar associado ao surgimento de problemas cognitivos.

 

https://super.abril.com.br/saude/metade-das-mulheres-pode-ter-alzheimer-apos-os-45-anos/

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Plenitude Ativa/Inês Rioto

Morar 60 mais - PNG.png

São Paulo/Brasil

Todos os direitos reservados

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • LinkedIn Social Icon